Entrevista a Filipa Areosa, Embaixadora mark

Filipa Areosa é a nova Embaixadora mark!

Jovem, descontraída e muito positiva, assim é a nova cara de Mark, a linha de maquilhagem mais arrojada e sem regras da AVON.

Nascida em Santarém, em 1990, desde cedo Filipa sentiu a vocação da representação. A escolha da Escola de Teatro foi assim algo natural e que resultou numa carreira já bastante diversificada, alternando entre teatro, novela, séries e cinema.

Destacamos alguns dos seus trabalhos: Morangos com Açúcar, Mundo ao Contrário, Os Filhos do Rock, Mar Salgado, A Uma Hora Incerta, A Peça, Sintoma de Ausência, Aqui tão Longe, Amor Maior e Zeus, A Mãe É que Sabe.

Entre gravações, Filipa deu-nos dicas de Beleza e revelou alguns segredos!

O que é para ti Beleza que faz Sentido?

Beleza que faz Sentido vai muito além do exterior, tem a ver com a forma como me sinto, a minha energia, a minha auto confiança e o meu equilíbrio!

Maquilhas-te todos os dias? Qual o teu produto preferido?

Maquilho-me praticamente todos os dias e não dispenso máscara de pestanas, que destaca o olhar e me deixa com um ar mais acordado.

Mudas de maquilhagem de acordo com o humor do dia ou costumas fazer sempre o mesmo tipo de maquilhagem?

Depende do humor. No dia-a-dia aposto em looks mais naturais, com pele luminosa, olhos destacados, mas simples. Já quando tenho uma ocasião especial, um evento ou uma festa, não tenho medo de arriscar e usar mais cor nos olhos ou um batom mais forte, por exemplo.

Quais as dicas de maquilhagem que gostarias de partilhar com os Clientes AVON?

As minhas dicas essenciais são: tratem da pele, invistam num bom creme e não se esqueçam de limpar o rosto ao final do dia, vão ver que a make up assenta muito melhor; foquem-se no que mais gostam de destacar e não tenham medo de arriscar nuns olhos mais marcados ou uns lábios mais épicos.

Qual a tua cor preferida de Batom EPIC?

Adoro o Coral Burst para uma ocasião especial, o Red Extreme para um dia mais arrojado e o Nude attitude para um look mais neutro.

Qual o trabalho de TV que mais te tocou?

“Os Filhos do Rock”, uma série para a RTP. Foi um trabalho que me deu muito gozo. Acredito, acima de tudo, em espírito de equipa. Uns sem os outros não funcionamos e naquela produção senti que a equipa estava unida. E por ser uma série de época, a maquilhagem e cabelos eram incríveis. Exagerado, mas muito divertido.

Já tiveste de rapar o cabelo para um papel… Sabemos que não te importas de correr riscos! Conta-nos a situação mais épica que já viveste e como é que isso te marcou.

Já tive algumas. Mas para mim épico é poder partilhar o meu espaço de trabalho com pessoas que gostam do que fazem e que respeitam a profissão. Já conheci algumas pessoas épicas graças ao meu trabalho e espero conhecer muitas mais.