3 comportamentos de negócios das mulheres millennial

Mais bem preparadas para assumir posições de liderança, as millennials têm vindo a aumentar e fortalecer a sua presença no mercado laboral. Elas procuram oportunidades iguais, usam as tecnologias e lutam pelo sucesso e pelo equilíbrio entre a vida e o trabalho. Ao lutar por um mundo corporativo diferente, estas mulheres deixam a sua marca.

São numerosos os estudos que dizem que em apenas 4 anos a força de trabalho será conduzida pelas chamadas millennials. Estas mulheres vão mudar a cultura dos locais de trabalho, valorizando a flexibilidade acima do salário e procurando um verdadeiro equilíbrio entre vida e trabalho. Se é uma delas e se partilha estes valores, esta é a forma como gostaria de trabalhar.

Trabalha num ritmo diferente

Para começar, enquanto millennial, não é que não queira ter um horário fixo de trabalho, apenas não compreende porque tem de ser tão rígido. Acredita em flexibilidade – poder sair do escritório se precisar de um momento pessoal, até porque não se importa de sair um pouco mais tarde. As férias também não deviam ter de ser restritas a períodos específicos, nem deveria ser necessário ter de trabalhar de 2ª a 6ª. Gostaria de poder “desaparecer” três dias aqui, dez ali… Seria bom poder recarregar baterias sempre que precisa. Enquanto millennial, gosta de pensar em ser a sua própria chefe e gerir o seu próprio tempo. O sistema tradicional não funciona para si. Para mulheres que trabalham em negócios dinâmicos e em constante mudança, como a AVON, é importante saber organizar-se. Quando sente que não controla o seu tempo, começa a procurar algo diferente, em que o seu bem-estar seja tido em consideração.

A mobilidade é outro ponto que a define. Não acredita em contratos sem termo mas sim em criar o seu próprio percurso profissional sempre que vê uma oportunidade. Faz parte de uma geração que está a começar a alcançar as esferas de influência no mundo dos negócios mas que ao mesmo tempo precisa de novas iniciativas de uma forma constante, para se sentir preenchida e inspirada com a vida que está a construir e os sonhos que está a perseguir.

Precisa de um bom motivo para agir

Porque sim” não serve! Tem de acreditar naquilo que lhe pedem para fazer. Da mesma forma, tem de ser capaz de se identificar com a cultura da empresa em que trabalha. Por outras palavras, não trabalha para o seu chefe, trabalha com ele e para si mesma. É uma colaboradora e portanto precisa de trabalhar em equipa, não se dá bem com modelos autoritários. Cresceu em democracia e essa é para si a única forma de fazer as coisas: partilhar ideias, discuti-las e chegar a uma solução comum, aceite por todos. Esta é a sua forma de resolver as coisas. Para si, o sucesso de uma empresa mede-se pelo bem-estar dos seus colaboradores e o impacto positivo na sociedade – os resultados financeiros já não chegam, o sucesso é medido de uma forma mais humana.

É otimista e empreendedora

Acredita que tudo pode ser alcançado com esforço e persistência. Foi ensinada a ser crítica em relação à informação que recebe (que é muita), a encarar bem o futuro e a não abdicar dos seus padrões. Na verdade, isto é para si o mais importante e é por isso que não valoriza tanto quanto ganha e sim o equilíbrio entre a sua conta bancária, vida pessoal e sucesso profissional. O equilíbrio é chave na sua vida e uma condição sine qua non em qualquer contrato de emprego. Acredita em trabalhar para viver e não em viver para trabalhar.

Não dispensa o desenvolvimento profissional, sabe que o mercado laboral é competitivo e recusa-se a ficar para trás. Está sempre a reinventar-se, a dar um passo mais e a crescer. As mulheres millennial procuram enriquecer-se a todos os níveis, para se melhorar e desfrutar da vida, incluindo a nível profissional.